/ Aulas

Respiração ritmada e com bandhas - Kúmbhaka Bandha Pránáyáma

Um dos pránáyámas mais completos do Yoga. Aprenda como fazer a respiração completa, com ritmo e com bandhas.

A respiração é um dos elementos fundamentais no Yoga. Além de aprendermos a respirar mais e melhor, utilizando a totalidade de nossa capacidade pulmonar, utilizamos a respiração como uma ferramenta para captar e expandir a bioenergia - daí o nome pránáyáma (prána = bioenergia, energia vital; ayáma = expansão).

À medida que evoluímos nas práticas, nos tornamos capazes de inserir elementos que enriquecem os pránáyámas e maximizam seus efeitos. No caso do Kúmbhaka Bandha Pránáyáma, também chamado de Bandha Kúmbhaka Pránáyáma, inserimos ritmo e contrações de plexos e glândulas.

O ritmo mais recomendado é o 1-4-2-1. Para isso, devemos inspirar em 1 tempo (por exemplo, 3 segundos), reter o ar nos pulmões em 4 tempos (12 segundos), expirar em 2 tempos (6 segundos) e manter pulmões vazios em 1 tempo (3 segundos). O matra - a duração de 1 tempo - pode variar. É você quem escolhe quanto dura esse tempo de referência. Alunos mais adiantados podem fazer com matra de 4 ou até 5 segundos. Nesse caso, púraka teria 4 ou 5 segundos, kúmbhaka teria 16 ou 20 segundos, rechaka teria 8 ou 10 segundos e shunyaka teria os mesmos 4 ou 5 segundos da inspiração.

Os bandhas são fechos, contrações ou compressões de plexos e glândulas. Atuam diretamente na condução da bioenergia dentro do nosso corpo, fazendo-a percorrer os canais energéticos denominados nadís. No caso do Kúmbhaka Bandha Pránáyáma (ou Bandha Kúmbhaka Pránáyáma), devemos fazer jíhva banda (pressão da língua no palato mole) durante a retenção com ar, e o bandha traya (contração dos esfíncteres do ânus e uretra, contração do abdômen e pressão do queixo contra o peito) durante a retenção sem ar.

Carla d´Arcanchy

Carla d´Arcanchy

Apaixonada pelo Yoga, Carla é presidente do Yoga em Movimento e ministra as aulas on line na escola e no curso de formação.

Read More