/ Definições

Yamas e Nyamas

Yamas e Nyamas são as duas primeiras etapas do Yoga de Pátañjali no Yoga Sutra

O entendimento do Yoga Sutra de Pátañjali é essencial para o progresso na prática. É um texto, um livro, que ninguém sabe exatamente a origem e o autor. As datas parecem que são da era entre Buda e Cristo. Alguns autores afirmam que ele tenha sido escrito nos séculos IV ou III a.C., enquanto que outros o datam no século II. d.C. Existem muitas traduções e interpretações diferentes para línguas ocidentais, feitas por estudiosos, especialistas, indólogos e sanscritistas, a partir do século XIX. Até hoje tem muitas traduções sendo feitas do Yoga Sutra.

Etapas do Yoga Sutra:

  1. Yamas: conduta moral e ética (restrições externas)
  2. Nyamas: conduta disciplinar (observâncias internas),
  3. Ásanas: posturas físicas;
  4. Pránáyámas: práticas respiratórias para expandir o prána
  5. Pratyáhára : abstenção dos sentidos;
  6. Dhárana: concentração;
  7. Dhyána: meditação;
  8. Samádhi: iluminação, estado de alta consciência, equilíbrio interior

Yama é a raiz do Yoga. O nyama é o tronco aonde se desenvolve força física e mental para as auto realizações.

Yamas = controle, domínio, refreamento, morte, destruição de todas as barreiras que dificultam nosso progresso espiritual. Cultivo do que há de positivo em nós. São de maneira geral proibitivas e morais. Aquilo o que não devemos fazer.

Nyamas = Base moral do Yoga, ética pessoal. São disciplinares e construtivos, prescrição psicofísica. Estão relacionadas com toda ação mental positiva que as pessoas devem incluir em sua vida, a purificação de si mesmo. Aquilo o que devemos fazer.

Os cinco yamas:


#####AHIMSÁ: não agressão, não violência Não violência física, mental, emocional, por palavras, gestos, ações e pensamentos. O ser humano não deve agredir outro ser humano, nem os animais, nem a natureza em geral. A não violência contra si próprio também é essencial é o respeito incondicional a qualquer manifestação de vida.
#####SATYA: não mentir O yogin deve cultivar a verdade, não mentir. Ser verdadeiro nos pensamentos, sentimentos palavras e ações. Equívocos ou distorções na interpretação de fatos também constituem inverdades. Coerência de pensamentos, não apenas abstenção da mentira.

Quais deles são mais desafiadores para você? Pense nisso, cuidado com aquelas desculpas internas que damos o tempo todo, não veja se vc não pegou a caneta de alguém mas sim se vc já ouviu uma ideia e repetiu sem se preocupar de quem era.

Tem dificuldade de identificar? Peça ajuda para quem convive com você, quem convive conosco faz uma melhor leitura de nossas posturas, reações, vícios, hábitos..


#####ASTEYA: não roubar

O yogin (ou qualquer pessoa) não deve se apropriar de objetos, ideias, créditos ou méritos. Não é apenas não roubar, mas eliminar totalmente o impulso de se apoderar de objetos ou ideias alheias.

É a abstenção dessas tendências, mesmo que em pensamentos.

É o desapego, precisamos de pouco para viver bem.


#####BRAHMÁCHARYA: domínio de energias Normalmente esse é o yama que mais temos controvérsias, mas vamos procurar entendê-lo sem criticar logo de início.

"Se você deseja se tornar uma pessoa espiritual, deve se tornar para sempre um celibatário". Essa seria a interpretação de um Yoga espiritualista. Mas muitas modalidades não interpretam o brahmácharya como abstração total do sexo ou celibato, mas sim como moderação dos sentidos, foco e não desvirtuamento da sexualidade.

Quando os sentidos estão esparramados, estamos fora de nosso centro. A busca incessante pelo prazer nas coisas que estão fora de nós, nos afasta da nossa natureza. Vai além do impulso sexual, prega a continência, da moderação que vai da alimentação ao sexo e até ao uso do dinheiro. Comer em excesso ou ter vários parceiros sexuais é ir contra o brahmácharya.

Então, aqui, o objetivo também é o equilíbrio... A moderação... Sair das “paixonites” porque afinal só trazem inflamação, hehe.. Inclusive pode-se pensar que a depressão e a bipolaridade é essa inconstância, ora você está MUITO feliz e ora você está MUITO triste. O objetivo não é ser MUITO ora alguma e sim ser mais estável. Não confunda estabilidade com ser “morno” pois estar morno é ruim, desagradável, sem graça. Não é isso! Ser estável e estar SEMPRE bem, procurar o lado bom das coisas, aprender com as críticas, com as dificuldades, com as adversidades da vida.


#####APARIGRAHA: desapego

Não possessividade. Abstenção da ganância e do ato de acumular qualquer coisa: objetos, pessoas, títulos, rótulos, dinheiro, sentimentos...

Aparigraha não significa que devamos banir nossos desejos e aspirações e nos livrarmos de nossas posses para sermos felizes. O problema é o vício em possuir mais e mais e nunca estar satisfeito com o que se tem e a constante preocupação em manter, não perder, aquilo que se tem.

O yogin deve se precaver para não transformar seus desejos e aspirações em um vício pela posse. Quando se observa firmemente aparigraha, compreende-se o sentido da vida.

O estudo e treinamento dos Yamas tem como objetivo a destruição de todas as barreiras que dificultam nosso progresso espiritual.


Agora, vamos aos NYAMAS:
#####SAUCHAN: limpeza, higiene, purificação.

O yogin deve buscar a purificação do corpo físico, energético, emocional e mental. Não apenas a limpeza externa como os kriyás: danta kriyá (escovar os dentes), trátaka (limpeza dos globos oculares e canais lacrimais), náuli kriyá (limpeza dos órgãos internos) ou tamás uddhyana bandha e rajás uddhyana bandha (que são preparações, educativos de kriyás) ou tomar banho todos os dias..

Mas devemos buscar ter boas emoções, bons sentimentos, boas palavras, cuidado, gentileza com os outros seres... Não comer carne tb se encaixa aí, a carne te intoxica com os sentimentos liberados dos bichinhos antes de morres, sem contar que a carne “estraga” dentro de você.

Porém, de nada adianta não comer carne se vc é ríspido, tem medo, raiva, paixão... Emoções fortes intoxicam mais do que o álcool por exemplo. Então, mais uma vez precisamos da coerência, do equilíbrio, do discernimento sobre as suas atitudes.

A pureza do ambiente em que se vive contribui para que o sauchan seja observado de forma plena, então além do nosso “corpo” temos que cuidar da nossa “casa” que engloba o seu lar, o seu trabalho, o seu carro... Pense nisso!!!
Com a purificação do corpo e da mente, advém a clareza mental, o poder de concentração, o domínio dos sentidos e a aptidão para perceber o Self.

“A estrita observância de sauchan (limpeza) proporciona desapego com relação ao próprio corpo e aos corpos dos demais.” Patañjali


#####SANTOSHA: contentamento

É a semente do estado meditativo, é aonde tudo começa, precisamos agradecer, ser gratos, estar contente pelo o que temos e vivemos.

O yogin deve cultivar a arte de extrair contentamento de todas as situações, por mais que não consiga entender por um tempo.
É a capacidade de manter-se satisfeito aconteça o que acontecer, esteja aberto.
É dar valor ao que se tem e não ficar olhando o que está faltando ou o que os outros têm.

O melhor yogi não é aquele que faz o exercício mais complicado, é aquele que sabe vive melhor a sua vida. "Você prefere estar certo ou ser feliz???" Pense nisso...


#####TAPAS: autossuperação, perseverança Se resume como o esforço sobre si mesmo em todos os momentos e em qualquer momento. É o esforço, a obstinação, a crença, a força de vontade para alcançar um objetivo. É não desistir diante de uma situação difícil, de um obstáculo ou de qualquer empecilho que encontremos.

É persistir, ir mais adiante, dar mais um passo... Sempre superar aquele momento, aquele medo, aquele dia, aquela jornada, aquele desafio.
Consiste numa atenção constante no sentido de fazer-se melhor a cada dia e aplica-se a todas as circunstâncias: emocionais, físicas, intelectuais, familiares, financeiras, não importa...

Adoro essa frase: “O degrau de uma escada não serve simplesmente para que alguém permaneça em cima dele, destina-se a sustentar o pé de um homem pelo tempo suficiente para que ele coloque o outro um pouco mais alto.” Thomas Huxley Acho que ela resume bem esse nyama.


#####SWÁDHYÁYA: estudo de si mesmo📿 É a observação de si mesmo. Pode ser feita através da meditação, terapia, mentalização.. Resume-se na análise sincera de suas atitudes, amplia nosso horizonte e ajuda o fortalecimento pessoal e espiritual.

O Swádhyáya alarga os horizontes do intelecto, porque vc busca dentro de VC a resposta, o motivo, a razão para o que está acontecendo ao invés de focar no externo, o foco é em SI MESMO!

Não confunda com egoísmo, egocentrismo... Pelo contrário, quando vc cuida de si consegue fazer mais pelos outros. Para cuidar de alguém, vc precisa estar de bem consigo mesmo, precisa estar inteiro, forte.

O auto estudo enriquece e estimula a prática. Tente, analise-se constantemente, vale a pena
parar um pouco para olhar para a pessoa mais importante do mundo: VOCÊ!

"Mude o mundo começando por VOCÊ" Mahatma Gandhi

Segundo Patañjali, se tapas for executado corretamente, purifica e fortalece o corpo, aguça os sentidos e conduz a perfeição.
Pelo contrário, não vai contra ao contentamento, lembre-se que todos os yamas e nyamas trabalham juntos, mas significa ter ambição, não se acomodar. Ser contente SIM, mas saber que não é o FIM. É lutar por algo ainda melhor.


#####ÍSHWARA PRANIDHANA: entrega, entrega ao absoluto. Quando você chega ao final de um ciclo, um objetivo, um obstáculo (fez tudo o que estava a seu alcance para chegar) e mesmo assim não conseguiu o resultado almejado, você entrega ao universo!

O yogin deve estar sempre confiante e seguro que a vida segue seu curso, obedecendo a leis naturais. Deve fazer o melhor que pode, mas sabendo que o final não está em suas mãos. É a parte mais teísta do Yoga.

No bom português costuma dizer-se 'que seja o que Deus quiser', na Bhagavad Guitá aparece-nos a expressão bhavitam bhavati eva: aquilo que tiver que ser será.

Carla d´Arcanchy

Carla d´Arcanchy

Apaixonada pelo Yoga, Carla é presidente do Yoga em Movimento e ministra as aulas on line na escola e no curso de formação.

Read More