/ Artigos

Yoga e a Potencialização do Cérebro

Como o Yoga pode melhorar as funções cerebrais?


O cérebro humano é um órgão incrivelmente desenvolvido. Ele tem o poder de comandar todo o funcionamento do nosso corpo e ir muito além disso. Sua capacidade é tão fantástica que nem mesmo a ciência moderna conseguiu definir quais seriam seus limites.

E se por um lado temos uma ferramenta assim tão poderosa à nossa disposição, por outro sabemos que ela ainda tem muito a evoluir. Sabemos que ainda podemos explorar melhor essa rede formada por mais de 80 bilhões de neurônios.

E a prática do Yoga é uma grande aliada nesse processo de exploração dos recursos do cérebro. São várias as técnicas dessa filosofia milenar que atuam direta ou indiretamente para potencializar as funções cerebrais.

Os respiratórios aprendidos já nas primeiras aulas de Yoga permitem que o praticante obtenha uma melhor oxigenação sanguínea. E esse sangue mais oxigenado também abastecerá o cérebro, fornecendo maior quantidade de comburente para as células cerebrais. Esse comburente a mais se transformará em uma cota extra de energia e, portanto, maior eficiência.

A meditação favorece, e muito, a capacidade de concentração. É uma questão de treinamento. Com o treino repetitivo e disciplinado, o yogin desenvolve a capacidade de se concentrar cada vez melhor, e durante um tempo cada vez maior.

Muitos ásanas – as técnicas corporais do Yoga – produzem efeitos neuroendócrinos e neuroquímicos. A influência das posturas e do Yoga em geral é tão poderosa que chega a provocar alterações estruturais em áreas do cérebro, favorecendo funções cognitivas e aspectos emocionais.

Por falar em ásanas, existe um em especial que tem uma atuação direta no funcionamento do cérebro. Trata-se do sírshásana, ou invertida sobre a cabeça. Por meio da inversão do corpo, o yogin consegue aumentar, de forma muito sutil, a circulação sanguínea na região. Mas principalmente, consegue elevar a quantidade de prána – a bioenergia – que passa a se acumular na região da cabeça.

O resultado é uma expressiva potencialização das funções cerebrais. A criatividade é exacerbada. O poder de memória é significativamente aprimorado. O raciocínio lógico é acelerado. O cérebro do yogin passa a funcionar de uma forma ainda mais fascinante.


E a melhor parte: tais efeitos se fazem sentir já nas primeiras práticas de Yoga. Basta perguntar para qualquer um que já tenha feito algumas aulas.

Daniel Tonet

Daniel Tonet

Professor do Yoga desde 2001, fundador do Yoga em Movimento e autor do livro Respiração e Autoconhecimento.

Read More